Porto | Parte 2

Author: Nenhum Comentário Share:

Como eu já disse aqui, você consegue visitar as atrações mais famosas do Porto só de dar uma volta a pé pela cidade, como: Torre dos Clérigos, Museu D. Infante, Estação São Bento, Ribeira, Ponte Luis I, Mosteiro Serra do Pilar e Catedral da Sé (e ainda tem mais! Falei que o Porto é um tesouro a ser descoberto). Aqui vai uma listinha de algumas coisas que fizemos.

mariadelux_portologo
Porto. O logo oficial da cidade

Onde ficar

Fontainhas Centenary Apartments – ficar em um apartamento é uma boa opção se você está viajando com um grupo pequeno e não quer gastar muito comendo fora. Além disso, pelo menos no Fontainhas, tudo é bastante confortável e fomos mimados como em qualquer grande hotel. No Porto, outra dica legal é tomar café-da-manhã fora, com direito a bons pães e doces portugueses. Ficamos no quarto Amarelo Pedra: 3 quartos, 2 banheiros e varanda, perfeito para cinco pessoas. O dono dos apartamentos é um senhor português muito amigável, que adora bater papo e falar da cidade.

O que fazer

Visitar caves* e ver o por-do-sol em Gaia: sim, a fonte da felicidade, as caves (adegas) do vinho do Porto! Atravessando a Ponte Luis I, logo ali do outro lado do Rio D’Ouro, está Vila Nova de Gaia, onde se concentram diversas empresas ligadas ao vinho do Porto. É muito fácil de achar, pois já do outro lado, na Ribeira, vê-se os grandes letreiros das empresas. Algumas oferecem tours, workshops, e é claro, degustação. Uma ótima chance de aprender de onde vem o sabor adocicado (e a porção de felicidade) dos vinhos do Porto. Para ver um por-do-sol perfeito sobre o rio D’Ouro, visite o terraço da adega Porto Cruz e curta uma bebidinha enquanto aproveita a vista.

Por-do-sol em Gaia, vendo o rio D'Ouro | Sunset at Gaia, watching river D'Ouro
Por-do-sol em Gaia, vendo o rio D’Ouro

mariadelux_porto

Passeios guiados: o tour privado vale muito a pena para conhecer uma cidade com detalhes, e quase sempre o guia é alguém que mora na região. Além disso, você não precisa se espremer no meio de um grupo, pode bater papo com o guia, e muitos oferecem também passeios exclusivos, como experiências locais (gastronomia, passeios históricos, culturais).

ônibus hop-in/hop-offé uma boa maneira de ter uma primeira visão da cidade, ou de conhecer os principais pontos se estiver acompanhado de alguém que não pode caminhar muito. O ticket varia de 10€ a 16€, dependendo do trajeto e do tipo de ticket (válido para 24 ou 48 horas). Com o ticket, vem o mapinha mostrando os pontos de parada. Ao entrar, você recebe um par de fones de ouvido descartáveis, e as explicações rápidas sobre cada ponto estão disponíveis em 16 idiomas. São curtas, mas ok, para se ter uma visão geral do Porto e marcar os lugares interessantes para visitar depois. Os dois motoristas que conhecemos foram bem simpáticos e gentis. O bus também vale a pena se você não tem carro e quer ir até o Forte São Francisco Xavier, Praia da Luz e Avenida Boa Vista.

praça da liberdade bus

Também fizemos um passeio de barco pelo rio D’Ouro com duração de 50 minutos, que segue o mesmo esquema com os fones e passa pelas principais pontes. (*passeios oferecidos em cortesia pela empresa Blue Bus)

Livraria Lello e Irmão e seu interior deslumbrante. | Lello e Irmão bookstore and its gorgeous interior.
Livraria Lello e Irmão e seu interior deslumbrante.

Livraria Lello e Irmão: uma das livrarias mais bonitas do mundo, sem exagero. Fundada em 1906 pelos irmãos José e António Lello, a loja tornou-se também um local tradicional do Porto. Sua bela e estreita fachada neogótica é um prelúdio do que iremos encontrar lá dentro. Estantes de madeira trabalhada por toda parte, e um vitral estilo art-nouveau deslumbrante no teto, são apenas dois de muitos detalhes que você vai para para observar atentamente. Suas famosas escadas merecem uma menção especial: no início do século XX, a obra já era um símbolo da vanguarda arquitetônica no Porto, mas foi na última década que ganhou fama internacional. Diz-se que as escadas vermelhas e arredondadas da Lello inspiraram J.K. Rowling a descrever as escadas de Hogwarts em Harry Potter, já que a autora chegou a morar durante um tempo no Porto, antes de Harry Potter ser lançado. Fato é que, ao entrar na Lello e Irmão, não há como não se inspirar. Mas com a fama internacional, vieram também os fãs, turistas e curiosos que se acumulam em frente ao livreiro para tirar fotos. Até aí nada novo, já que se tornou uma atração da cidade. É por isso que para visitar o local, você tem comprar um ticket na cabine que fica em frente à livraria. O que é compreensível, já que a Lello é e sempre foi uma das melhores livrarias do Porto, e se tentassem comportar tantos visitantes para além da capacidade, não seria possível preservar o clima aconchegante de livraria antiga. Importante: às vezes há fila para comprar os tickets ou para entrar, mas costuma andar rápido, e o valor do ingresso é abatido nas suas compras.

Não dei conta da batata frita, mas veio. |I couldn't handle the fries, but they were there.
Não dei conta da batata frita, mas veio. | I couldn’t handle the fries, but they were there.

Comer Francesinha e alheira: a primeira é um dos pratos mais famosos do Porto, que consiste de um sanduíche recheado com bife, e coberto com salsicha, presunto, muito queijo e molho de tomate. Não está bom? Ah sim, ainda é servido com batatas fritas. A Francesinha é facilmente encontrada em muitos restaurantes pela cidade e é claro que tínhamos que experimentar. Já a alheira, original do norte de Portugal, é uma salsicha feita om carne de aves e pão, e temperada com bastante alho. O que na aparência pode não apetecer, garanto que no paladar a história é outra. Servida, com pão e azeite, ou mesmo só um pedacinho desacompanhado, a alheira é deliciosa.

Radio Bar/ Porto à noite: procurando por um clube rock/indie, encontramos o Radio Bar. A menos de 10 minutos de caminhada da Praça da Liberdade, o clube fica em um casarão, onde alguns detalhes mais antigos parecem originais. No térreo fica a pista de dança e no primeiro andar, três ambientes diferentes (um deles, é claro, decorado com radios e no estilo vintage). Boa música, boa bebida e bom preço. Adorei! Fica na Praça D. Filipa de Lencastre 175. Se você não curte rock, é só seguir mais adiante e irá encontrar mais bares e clubes. A vida noturna no Porto é bem animada e se vê muita gente na rua, como que trocando de bar durante a noite e conversando do lado de fora. Dica extra: ao lado do Radio Bar tem a Munchie, uma hamburgueria artesanal muito boa. Eles também servem bons coquetéis e chips de batata fresquinhos 😉

Sangria @ Galerias de Paris
Sangria @ Galerias de Paris

Galeria de Paris:uma bar surreal, uma grande coleção de objetos, um museu bar, sei lá, mas divertido. Quando chegamos os garçons já tiravam as cadeiras e mesas para fazer um pista de dança. Bem, é animado e vale a parada pra pedir uma sangria e ver o local e a garrafinha de sangria sendo decorada. Endereço: Galerias de Paris, 56.

 

E se você ainda acha que todo esse fascínio é de uma turista que acabou de conhcer a cidade, então vai a opinião de quem mora e conhece cada cantinho do Porto. De tanto amor pela cidade, a paulista Rita Branco criou o blog O Porto Encanta, no qual dá dicas e oferece passeios e experiências gastronômicas e culturais com sotaque brasileiro, e é também uma simpatia de pessoa. Perguntei à ela quais sobre um lugar preferido, ou, qual a cara do Porto?

Os meus lugares preferidos e especiais no Porto, são as ruelas medievais , nos lugares mais antigos, onde a cidade começou. Próximo da Sé Catedral e no interior da Ribeira, próximo do Rio Douro. são os lugares onde encontramos as pessoas mais genuínas da cidade, o casario muito típico, as paredes com história… é onde o Porto é Porto de verdade. Com identidade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Previous Article

Músicas com bebidas – uma listinha para todos os gostos

Next Article

Descobrindo o Porto

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *